Seguidores

8.10.03

Algumas montagens e intérpretes de Peer Gynt

Peer Gynt, de Henrik Ibsen, é a saga do anti-herói nórdico, que dos 17 aos 76 anos vive fantásticas aventuras em vários continentes, saindo pelo mundo em busca de si mesmo. Embora escrita na metade do seculo 19, a peça é atualíssima, com uma contemporaneidade e transcendência admiráveis. O musicista Edvard Grieg, contemporâneo e amigo de Ibsen compôs as músicas de Peer Gynt.

Em 1971, em São Paulo, foi apresentada no Teatro Itália, numa montagem e produção do genial diretor ANTUNES FILHO, com STENIO GARCIA no papel de Peer Gynt. E olhem que elencaço:
Ariclê Perez, Ivete Bonfá, Analy Alvarez, Jonas Bloch, Carlos di Simoni, Ricardo Blat, Clemente Viscaíno, Isa Kopelman, Clarice Piovesan, Ciro Correa e Castro, Ewerton de Castro, Isadora de Faria, Paulo Hesse, Lucia Capuani, Roberto Frota, Norberto Fayon.
Figurinos da artista plastica Maria Bonomi, cenarios de Laonte Klawa e músicas do Maestro Diogo Pacheco. O Antunes bancou essa produção, o SESC ainda não tinha entrado nesse circuito.
Tenho inveja de quem viu esse espetáculo.

E aqui no Rio, no Teatro Glória, há uns sete ou oito anos atrás -- nunca conseguí entender porque os programas das peças não têm data -- Peer Gynt teve a tradução e adaptação da Clara Góes, e foi produzida pelo seu irmão MOACYR GÓES, tendo o JOSÉ MAYER como protagonista.
E mais os atores Antonella Batista, Floriano Peixoto, Gaspar Filho, Ivone Hoffman, Leon Góes, Letícia Spiller, Patrícia França, Paula Lavigne, e em participação especial o Italo Rossi.
Eu vi essa montagem e não gostei da concepção do espetáculo, apesar da produção caprichosa com música do Maestro Wagner Tiso, cenários e figurinos dos premiadíssimos José Dias e Samuel Abrantes. Eram oito ou dez atores fazendo vários personagens. E eu só lembro do trabalho do outro irmão, o Leon -- ótimo -- e da Ivone Hofman, na Aase, a mãe do Peer Gynt.

Nos anos quarenta, uma interpretação de Peer Gynt, comentadíssima pelos experts foi a do famoso ator inglês, RALPH RICHARDSON, em 1944 no Old Vic, em Londres. No mesmo ano e no mesmo teatro em que Laurence Olivier também brilhou na sua inesquecível interpretação de "Hamlet".

Em 1994, cincoenta anos depois, na França, em Charleville-Mézières, teve uma apresentação por um grupo irlandês, de Peer Gynt em teatro de bonecos, no 10e. Festival Mondial des Théâtres de Marionettes. Eu estava lá e não vi. Pois é, ora vejam só, eram dezenas de espetáculos por dia, a função começava as nove da manhã e ia até a meia noite.

POST SCRIPTUM: Por favor se alguém viu alguma outra montagem de Peer Gynt aqui ou no estrangeiro, comente aqui no "Comente", no livro de visitas ou pelo meu e-mail.

Nenhum comentário: