Seguidores

14.12.03

Diretor faz greve de fome para "salvar" o seu teatro
Um ator, diretor e proprietário de teatro, entrou em greve de fome para "salvar" o seu teatro, segundo ele, "ameaçado de morte pelo Ministério da Cultura que dividiu por dois a sua subvenção este ano, e a cortou para o próximo ano". Isso tudo está acontecendo num país de primeiro mundo onde os teatros são subvencionado pelo govêrno. Mais precisamente, na França. O diretor grevista Christian Le Guillochet, é proprietário do Teatro Lucernaire (Paris 6e.), um prédio que abriga duas salas de 120 e 130 lugares, 3 cinemas, um bar e um restaurante. Pobrinho ele, não? Protestando de barriga cheia, o talzinho esse.
Não satisfeito com a greve de fome, ainda colocou em cartaz no teatro de sua propriedade, uma peça com o sugestivo título "Subvençao". Esta peça escrita por um amigo dele, tem no seu enredo duas funcionárias do Ministerio da Cultura que tentam convencer um diretor de teatro a parar com uma greve de fome que dura vinte e três dias, e nessa negociação de uma hora, no fim o diretor cai morto.
O espetáculo é dirigido pelo próprio que alterna o papel principal com outro ator, e o grevista da fome pretende seguir esta greve até o esgotamento, mas o Ministério da Cultura está fazendo jôgo duro e diz que não vai ceder a pressões.

Nenhum comentário: