Seguidores

12.1.04

Numas assim

Um aforisma de Kafka, ocupando os meus pensamentos nesses dias conturbados:
Nosso conceito de tempo torna possível que falemos do Dia do Julgamento Final como se fosse uma efeméride. Em verdade, ele é uma côrte sumária, em sessão permanente. Tóin...!
Estamos todos condenados. Alguém duvida disso? E agora José?

***
Mudando de assunto, um poema do Carlos, o Drummond de Andrade:
Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui para diante vai ser diferente.

Nenhum comentário: