Seguidores

24.1.04

Este blog agradece ao Sergio Faria do Catarroverde pelo post do Antonio Nobrega e o link para o blog Blitzmania. Dois raros presentes. Valeu, Serjones.
A cultura popular carrega uma missão na cultura do mundo que a gente ainda não foi capaz de ver.
O que seria de Mondrian, de Rabelais, de Shakespeare se não existisse cultura popular na época. A história de Romeu e Julieta era um folhetim, Shakespeare foi apenas um entre vários que trataram daquela história. O que seria de Lorca, de Cervantes sem a cultura popular: o Quixote é uma figura nutrida, alicerçada nela. E o Brasil prova isso, o que seria de Guimarães Rosa, de Villa-Lobos, você pode dizer que os maiores criadores do Brasil têm um pé na cultura popular do país. Antonio Nóbrega

22.1.04





Sacy Pererê -- a lenda da meia-noite
Estréia no Rio no próximo sábado, dia 24, às 19 horas no Teatro Glauce Rocha -- em frente ao Metrô Carioca, um espetáculo de bonecos, atores, animação, luz e sombras da Cia. Teatro Lumbra -- pesquisa e experimentação com o teatro de sombras -- de Porto Alegre. O espetáculo esteve em cartaz no ano passado na capital gaúcha com grande sucesso de público e de crítica, ganhando o Troféu Tibicuera de Melhor Direção, Melhor Iluminação e Melhor Trilha Sonora. Vale uma ida até o centro da cidade para assistir o trabalho dos meus conterrâneos.

12.1.04

No Mínimo, de hoje, o Rogério Durst, brilhante, como sempre, fala sobre o Rogério Sganzerla.
Numas assim

Um aforisma de Kafka, ocupando os meus pensamentos nesses dias conturbados:
Nosso conceito de tempo torna possível que falemos do Dia do Julgamento Final como se fosse uma efeméride. Em verdade, ele é uma côrte sumária, em sessão permanente. Tóin...!
Estamos todos condenados. Alguém duvida disso? E agora José?

***
Mudando de assunto, um poema do Carlos, o Drummond de Andrade:
Quem teve a idéia de cortar o tempo em fatias,
a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial.
Industrializou a esperança, fazendo-a funcionar no limite da exaustão.
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos.

Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez,
com outro número e outra vontade de acreditar
que daqui para diante vai ser diferente.

10.1.04

LUTO

Rogerio Sganzerla (1946/2004)
Este blog está de luto. Tinha pensando em muita coisa para postar aqui da minha convivência pessoal e profissional com o Rogerio, mas não tá dando... c'est la vie... voilà. Je reviens.