Seguidores

19.12.04


E este é o Ricky, Ricardo Pucetti, no encerramento do Festival.
Anjos do Picadeiro 4

No encerramento do Festival na Fundição Progresso, Nego da Bahia arrasou geral. Leo Bassi aplaudiu em pé. E o Márcio Libar estava feliz com o sucesso do seu pupilo.










11.12.04


O Mestre Dácio Lima, ao centro, numa foto tirada em janeiro de 1999, depois do espetáculo "Cult Clown! Novos Narizes", realizado na conclusão do nosso último módulo do curso de clown. Adivinhem quem abraça o Dácio.

Clown! palhaço de teatro
Ontem, dia 10 de dezembro, foi a data comemorativa do Dia do Palhaço, e esse blog homemageia -- in memoria -- o Mestre Dácio Lima, diretor teatral e educador que marcou definitivamente a cena contemporânea. Um dos pioneiros no Brasil do trabalho com técnicas de clown e máscaras. A Palhaça Sassá (Sassá c'est moi) começou os seus sassaricos clownescos, a partir das aulas com o Mestre Dácio Lima.

De origem circense, o clown corresponde ao nosso palhaço. Mestre Dácio levou o palhaço para a sala de teatro, apresentando um novo estilo de jôgo, um meio para o estudo dos mecanismos do riso, com base nas técnicas apreendidas nas escolas de Philippe Gaulier e Jacques Lecoq, em Paris, onde estudou.

Desfile de Palhaços na Praia do Flamengo. Foto pèssimamente copiada da revista "Anjos do Picadeiro 3" por esta paspalha. Na primeira fila, os palhaços do Teatro de Anonimo -- produtores e realizadores do maior evento circense do País: Shirley Britto, Márcio Libar e João Carlos Artigos, o de óculos escuros e de chapéu.
E atenção Senhoras e Senhores! Muita atenção para o seguinte: atrás do João, uma cabeça depois, a palhaça de chapéu de coco preto, e quasi de perfil, é a Palhaça Sassá, sassaricando em grande estilo. Quem é a Sassá? C'est moi, mes enfants! A Sassá c'est moi! C'est moi!

8.12.04

Anjos do picadeiro

Começa nesta sexta dia 10 e vai até domingo, dia 12, o evento circense mais importante (e o mais aguardado) do País: a quarta edição do encontro internacional de palhaços, ANJOS DO PICADEIRO 4, com espetáculos, performances circenses, piquenique circense na Quinta da Boa Vista, foruns de discussão e muitos aprontos circenses do Grupo LUME, do Anonimo, do Teatral ETC & Tal, As Marias da Graça, da Intrépida Trupe, Parlapatões, Patifes e Paspalhões e do surpreendamental palhaço espanhol Leo Bassi, do palhaço italiano André Casaca, entre outras atrações nacionais e internacionais.

O evento acontece em vários locais: na Fundição Progresso, sexta às 21hs tem Leo Bassi (imperdível),aprontos mís na Cinelandia, e encerramento no domingo na Quinta da Boa Vista o dia inteiro, Teatro Carlos Gomes e um espetáculo de gala no sábado na Escola Nacional de Circo.
Veja abaixo a programação completa:

Sexta feira 10/12 - Dia do Palhaço
9h - Recepção e cadastramento na Fundição Progresso
10h às 13h - Fórum de discussão no Teatro Carlos Gomes
15:30h - Concentração para o Cortejo na Fundição Progresso
16h - Cortejo dos artistas (todos) até a Cinelândia
16:30h às 19h - Roda com números de rua e cômicos na Cinelândia
Apresentador: Marcio Libar
Convidados: Javi Javiche / Niño Costrini / Chico Simões
Palhaço Dudu / Lume / Carroça de Mamulengos

19h - Gargalhada do Século na Cinelândia

21h - Espetáculo "La Revelación", Leo Bassi, na Fundição Progresso

23h - Canja da Madrugada na Fundição Progresso (números cômicos)
Apresentadores: Ale Roit + Os Charles
Números: Roman Roman / Cabaré Volante / Daniela Carmona
Seres de Luz / Barracão Teatro / Anônimo / Valdevinos de Oliveira
Intrépida Trupe / Etc e Tal / Circo Volante

1h - Faixa de Gaza(es) - Abertos aos dispostos a tudo!
Apresentador: Sergio Machado

Sábado 11/12
20:30h - Espetáculo de Gala na Escola Nacional de Circo
Apresentadores: Marcio Moura + Alvaro Assad
Convidados: Tomate / Teatro de Anônimo / Escola Nacional de Circo / Niño Costrini / Fernanda Ledesma / Parlapatões, Patifes e Paspalhões / Intrépida Trupe

Domingo 12/12
10h às 13h - Espetáculos e rodas na Quinta da Boa Vista
10h - Ouverture com Grupo Batida
11h às 13h - Udi Grudi / Artetude / Jogando no Quintal / Lume / As Marias da Graça / Roman Roman / Javi Javiche
18h - Tranquilli!!! André Casaca

5.12.04

UM ATO DE RESISTÊNCIA

O povo sabe das coisas e foi à luta (sem eufemismo) das senhas desde as dez horas da manhã, enfrentando horas de fila e uma chuva fina que caiu durante toda a tarde de ontem, para ouvir música barroca composta há quasi trezentos anos pelo músico francês Joseph Bodin de Boismortier (1689-1755), resgatado graças à pesquisa do músico americano Tom Moore, integrante do grupo "Le Tromphe de l"Amour". Essas músicas foram gravadas pelo grupo nos EUA, e A Casa Discos foi responsavel pelo lançamento aqui no Brasil, em primeira mão, ontem, no Museu da Republica. E no próximo ano, o disco será exportado daqui pela A Casa Discos, para os EUA

Cheguei antes das sete, não conseguí lugar, o Salão Nobre do Museu da República, já estava com a lotação esgotada, mas haveria uma segunda sessão, e esta seria realizada na varanda do Museu. Não estava sòzinha, nessa espera, pois até a mãe do Serginho -- músico produtor do concerto, não conseguira lugar. Costumo chegar bem cedo em eventos dessa importancia, e com entrada franca, mas eu fui informada que o concerto seria ao ar livre, nos jardins. Portanto, eu pensei que teria lugar suficiente. Ledo engano.

As senhas começaram a ser distribuidas antes das seis, e já tinha gente na fila de antes das duas horas. E ainda soube por uma funcionária do Museu, que algumas pessoas que leram no Globo estavam lá as dez horas da manhã, formando fila para assistir o concerto. Desestimulados da longa espera, foram onvidados a voltar á tarde, e informados que as senhas seriam distribuidas a partir das seis horas -- uma hora antes do espetáculo.

Um concerto extra

Entre o público da segunda sessão, tinha alguns convidados especiais, mostrando o convite impresso, e que não conseguiram entrar. Só entrou quem esperou horas na fila. E mesmo assim, algumas pessoas reclamavam que enfrentaram a fila desde cedo, na esperança de sobra eventual de algum lugar, e l'ambience ficou tenso.

Para acalmar os ânimos desse público que esperava em pé e enfrentando uma chuvinha fina no patio em frente á varanda, teve um concerto de flauta de um jovem e talentoso aluno da Laura Rónai, o Márcio (esquecí o sobrenome dele, anta que sou) que interpretou lindamente os concertos de Telleman. Agradou a galera. Foi aplaudídissimo.

Uma celebração à arte, à vida, e à paz

Mais de duas horas em pé e na chuva não significam nenhum esfôrço diante do momento raro e emocionante que foi o privilégio de ouvir aqueles músicos maravilhosos,
competentíssimos, (a Laura Rónai é feríssima -- tem o sôpro da alma) com pleno domínio do seu métier proporcionando ao seu público -- crianças, adultos, adolescentes (até eles, concentrados e com as carinhas maravilhadas) das mais variadas classes sociais, todos ali irmanados em um momento de beleza, de vida e de humanidade.
Um momento de paz, de serenidade, nessa cidade cada vez mais violenta.
Através da arte, uma forma de resistir à violência cotidiana -- um verdadeiro ato de resistência.

4.12.04

Do Serginho, por e-mail, dando notícias do seu sêlo A Casa Discos, responsável pelo
grande acontecimento artístico-musical, hoje às 19 hs., no Museu da Republica.

"Esse disco foi gravado nos EUA, com músicas nunca antes gravadas
do compositor barroco Joseph Bodin de Boismortier, com participação da
flautista brasileira Laura Rónai.
O prazer maior é percorrer a via inversa:
eu peguei um produto de qualidade deles e estou lançando aqui em primeira
mão (o CD só deve ser lançado lá no ano que vem, exportado pelo meu
selo...).
É música erudita da mais alta qualidade. E os americanos, junto
com a Laura Rónai, estarão aí para tocar no lançamento. Ou seja, imperdível!"



É Hoje !