Seguidores

14.5.06

BISCOITO FINO

A mochila do mascate é absolutamente imperdível, não só para quem faz ou estuda teatro e outras artes cênicas, mas também para designers, arquitetos, estilistas, artistas plasticos, etc. e o público em geral.

Assistí o filme ontem (sabado, dia 13) no Museu da Republica e ainda estou sob o impacto da grandeza dessa realização, cuidadosa nos mínimos detalhes, com um apuro estético digno do homenageado, da música às imagens belissimas - dos desenhos, arquivos de imagens com direito a voz e imagem da Maria Callas cantando no Scala de Milão, entre outras raridades. Biscoito fino para o privilegiado espectador.

O que os artistas contemporaneos andam inventando como aquela badalada montagem de um texto de Beckett a beira do lago do Itamaraty em Brasilia, no ano retrasado,
no início da decada de cincoenta, na Itália, Gianni Ratto montou A tempestade de Shakespeare, a beira de um lago artificial, em Florença. Aliás é uma das cenas mais tocantes do filme. Ele mostrando o local dessa encenação para a Antonia, sua filha, produtora e roteirista do filme, quando ele olha de repente para o céu, e naquele momento a camara filma um céu que parecia extraído de um cenário.

E não por acaso, ele era considerados um dos sete maiores cenógrafos do mundo, quando o sábio casal Sandro e Maria Della Costa foi à Itália especialmente para convidá-lo para dirigir o espetáculo de estréia do teatro deles em São Paulo. Ela aparece no filme, linda, contando esse fato.
Tem muito mais coisa.
Continúo depois.

Agora vou para o Centro Coreografico assistir o encerramento da "11 Mostra de Dança Faculdade Angel Vianna" , e o debate com o público; "Em busca de um repertório na dança contemporânea". A noite promete.

Nenhum comentário: