Seguidores

9.6.10


Orlando Miranda, muito emocionado, na solenidade da entrega da Medalha Tiradentes e do Diploma auferidos pelo Deputado Audir Santana, no plenário da Câmara dos Deputados, na ALERJ.

Perfeito Fortuna, Orlando Miranda, Deputado Audir Santana, ao centro, Aderbal Freire Filho e Max Hauss no lugar de honra do Plenário. Perfeito, Aderbal e Max discursaram ou melhor, contaram causos dos mais sérios aos mais engraçados sobre sua convivencia com o homenageado, e como este influenciou e marcou de alguma forma suas vidas.

Da esquerda para a direita, os atores Rogerio Froes, Perfeito Fortuna, o diretor e ator Aderbal Freire Filho, Orlando Miranda, o produtor teatral Oscar José, o diretor e ator Mariozinho Telles, o Djalma gerente da Fiorentina, e esse menino lindo é o filho do Mariozinho Telles. Esse grupo gostou desse cantinho do saguão da ALERJ e ficou um tempão aí trocando figurinhas.

O ator Othon Bastos e a sua esposa, a atriz Martha Overbeck, a quem tive o prazer de reencontrar depois de décadas, muito bela e completamente ao natural, isto é, sem apelar para intervenções que não as da própria natureza. Com a cara e corpo que Deus lhe deu, não precisei de nenhum esforço para reconhecê-la. Sábia Martha!

Othon Bastos, Orlando Miranda e a sua neta Camila (ela foi responsável pela produção do audio visual no saguão da ALERJ, com as fotos mais marcantes na carreira do homenageado) e o produtor (Oi Casa Grande) Max Hauss. O Max durante o seu "discurso" no plenário, não sem razão, detonou a acustica do plenario da ALERJ. L'ambience ficou tenso.


Um belo e arrojado numero de circo muito aplaudido pelos presentes. Essa menina da foto voou - literalmente. A minha cabeça, na primeira fila correu altos perigos, não fora a competencia dos meninos. Além de voadora, é forte pacaramba, segurou um desses fortudos, seu colega e o sustentou no muque. Uma homenagem da Escola Nacional de Circo ao seu criador, Orlando Miranda. E, no saguão da ALERJ, após a solenidade um numero de bailarinos de tango muito aplaudidos, o Jorge Paulo (do TECO - alguém lembra? Pioneiro da venda antecipada de ingressos para as companhias) e sua partnaire. Alguns presentes animados pelo "pró-seco" ensaiaram alguns passinhos de tango - sem sucesso. Aliás, a festa no saguão rolou animada numa grande confraternização da classe, e teria varado a noite, não fora o horario para fechamento da ALERJ às 22 hs. Noblesse oblige. A noite acabou em pizza (metáfora á parte, era fome mesmo) na Fiorentina.


Orlando Miranda, feliz e emocionado no final da festa, com a sua esposa, Dra. Cláudia Camanho.

Um comentário:

Anônimo disse...

Merecida homenagem ao Orlando Miranda, referencia na história do teatro brasileiro ! Bravo, Orlando !!
Luis Sergio Lima e Silva