Seguidores

4.10.09


Comemoração 20 anos da Palhaça Margarida (Adelvane Néia, de Campinas) uma grande celebração no encerramento do Festival Esse Monte de Mulher Palhaça.

Quem esteve na platéia do SESC-Copa na semana do Festival Internacional de Comicidade Feminina, mudou o seu referencial da nobre arte do palhaço. As palhaças deram show de talento e competencia, e o público não cansou de aplaudir e de se maravilhar durante os seis dias do Festival. Alguns espectadores (entre eles, até os chamados formadores de opinião) vieram comentar que mudaram os seus conceitos depois de assistir o Festival. Não tinham parametros para pensar que essa nobre arte da palhaçaria, quando exercida por mulheres, existia como profissão no nosso País.

Quem foi ao encerramento do Festival, comenta até hoje e guarda na sua memoria visual a imagem da foto acima. Foi impactante, bela, inesperada, a imagem da Palhaça Margarida, (Adelvane Néia, de Campinas, atriz, palhaça, diretora, figurinista, ministra oficinas e cursos no Brasil e exterior), desfilando, em um equilibrio perfeito, em cima de um andor, carregado pelos técnicos que trabalharam nos bastidores, dando uma volta completa na arena do Teatro do SESC-Copa.
Depois, com a mesma elegancia e equilibrio desceu do andor e foi cortar o bolo de aniversário pela comemoração dos 20 anos da Palhaça Margarida, numa grande celebração com as palhaças todas no palco de arena do SESC, para o delírio do público que não cansava de aplaudir aquele belo momento, encerrando assim o evento artístico-cultural mais importante do ano em curso.
Gratidão, essa palavra tudo, às quatro intrépidas As Marias Da Graça, a Karla Concá, Geni Viegas, Samantha Anciães e Vera Ribeiro que idealizaram, batalharam e produziram o Festival Esse Monte de Mulher Palhaça - III Festival Internacional de Comicidade Feminina.

Update: A foto acima é da autoria da atriz-palhaça francêsa, a Jeannick Duppont que participou do festival
com "Poste Restante", no sábado. O público adorou aquela palhaça gringa tentando falar português. Depois de muitas trapalhadas com a participação de voluntários entre o público, no final simulava levantar voo num foguete, (me pareceu uma parodia daquele filme do Woody Allen "A Mãe Judia". Se não for, me corrijam, por favor. A paspalha aqui chegou atrasada) para o nervosismo e apreensão dos soldados bombeiros presentes nos bastidores. Ah, e ainda ministrou uma oficina de comicidade para palhaças profissionais, muito comentada pelas participantes. E além disso, mandou para todas nós, um album de fotos que ela clicou durante o festival. Ainda publico mais aqui. Valeu, Jeannick. Nós amamos você.

Jeannick Dupont ladeada pelas Marias da Graça, Samantha Anciães e Geni Viegas

As Marias da Graça, Geni Viegas, Samantha Anciães, Vera Ribeiro e Karla Concá clicadas pela Jeanick Dupont.
Deixe um comentário aqui

8 comentários:

ruth mezeck disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ruth Mezeck disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ruth Mezeck disse...

teste 3 dos comentários direto do blog

Ruth Mezeck disse...

teste 4 ver se funcionou dessa forma

Ruth Mezeck disse...

Ok agora pode deixar recado direto no blog funcionou o link!
Podem deixar recados sem sustos.
Palavra de blogueira ... hehehehehe

beatriz disse...

realmente quando penso que já vi tudo dessa margarida, ela me sai com essa,ahahah arrasou, margarida, você realmente é poderosa! beijos, mumú.

Silvia disse...

Maravilhosas e queridas palhaças!Estive em pensamento e estarei sempre que puder, junto com vocês para usufruir dessa doce e meiga companhia dessas comparsas multiplicadoras de risos e alegrias e criatividade. Muitosbeijos e abraços e Viva a Poderosa Margarida!
Silvia Leblon (Spirulina).

Oficinas Enogastronômicas disse...

Querida Sassá,

Espaços como este são sempre bem vindos para o meu teclado. É com prazer que eu registro aqui o quanto o festival de mulheres palhaças foi especial neste terceira edição.
Muito bacana ver palhaças tão diferentes, com diferentes sotaques e culturas e ao mesmo tempo tão impressionantemente cúmplices!
Imagino que para o público é realmente surpreendente ver uma mulher palhaça em cena - são mil e um pensamentos que correm de uma vez, um turbilhão de emoções ao mesmo tempo, e risos multiplicados.
Para nós, palhaças, também é surpreendente a generosidade da platéia e bobeira, que rápida, toma conta de todos.
Tenho certeza que este anos avançamos ainda mais em perspectiva e ações. Aqui em Recife alguns pesquisamos a linguagem a 7 anos e estamos todos influenciados pelo festival. Queremos um festival no Nordeste tb!
Queremos ter essas maravilhosas palhaças fazendo graça por essas bandas!
beijos,
Enne Marx - Mary En
R e c i f e