Seguidores desse blog

4.10.09


Comemoração 20 anos da Palhaça Margarida (Adelvane Néia, de Campinas) uma grande celebração no encerramento do Festival Esse Monte de Mulher Palhaça.

Quem esteve na platéia do SESC-Copa na semana do Festival Internacional de Comicidade Feminina, mudou o seu referencial da nobre arte do palhaço. As palhaças deram show de talento e competencia, e o público não cansou de aplaudir e de se maravilhar durante os seis dias do Festival. Alguns espectadores (entre eles, até os chamados formadores de opinião) vieram comentar que mudaram os seus conceitos depois de assistir o Festival. Não tinham parametros para pensar que essa nobre arte da palhaçaria, quando exercida por mulheres, existia como profissão no nosso País.

Quem foi ao encerramento do Festival, comenta até hoje e guarda na sua memoria visual a imagem da foto acima. Foi impactante, bela, inesperada, a imagem da Palhaça Margarida, (Adelvane Néia, de Campinas, atriz, palhaça, diretora, figurinista, ministra oficinas e cursos no Brasil e exterior), desfilando, em um equilibrio perfeito, em cima de um andor, carregado pelos técnicos que trabalharam nos bastidores, dando uma volta completa na arena do Teatro do SESC-Copa.
Depois, com a mesma elegancia e equilibrio desceu do andor e foi cortar o bolo de aniversário pela comemoração dos 20 anos da Palhaça Margarida, numa grande celebração com as palhaças todas no palco de arena do SESC, para o delírio do público que não cansava de aplaudir aquele belo momento, encerrando assim o evento artístico-cultural mais importante do ano em curso.
Gratidão, essa palavra tudo, às quatro intrépidas As Marias Da Graça, a Karla Concá, Geni Viegas, Samantha Anciães e Vera Ribeiro que idealizaram, batalharam e produziram o Festival Esse Monte de Mulher Palhaça - III Festival Internacional de Comicidade Feminina.

Update: A foto acima é da autoria da atriz-palhaça francêsa, a Jeannick Duppont que participou do festival
com "Poste Restante", no sábado. O público adorou aquela palhaça gringa tentando falar português. Depois de muitas trapalhadas com a participação de voluntários entre o público, no final simulava levantar voo num foguete, (me pareceu uma parodia daquele filme do Woody Allen "A Mãe Judia". Se não for, me corrijam, por favor. A paspalha aqui chegou atrasada) para o nervosismo e apreensão dos soldados bombeiros presentes nos bastidores. Ah, e ainda ministrou uma oficina de comicidade para palhaças profissionais, muito comentada pelas participantes. E além disso, mandou para todas nós, um album de fotos que ela clicou durante o festival. Ainda publico mais aqui. Valeu, Jeannick. Nós amamos você.

Jeannick Dupont ladeada pelas Marias da Graça, Samantha Anciães e Geni Viegas

As Marias da Graça, Geni Viegas, Samantha Anciães, Vera Ribeiro e Karla Concá clicadas pela Jeanick Dupont.
Deixe um comentário aqui

8 comentários:

ruth mezeck disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ruth Mezeck disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ruth Mezeck disse...

teste 3 dos comentários direto do blog

Ruth Mezeck disse...

teste 4 ver se funcionou dessa forma

Ruth Mezeck disse...

Ok agora pode deixar recado direto no blog funcionou o link!
Podem deixar recados sem sustos.
Palavra de blogueira ... hehehehehe

beatriz disse...

realmente quando penso que já vi tudo dessa margarida, ela me sai com essa,ahahah arrasou, margarida, você realmente é poderosa! beijos, mumú.

Silvia disse...

Maravilhosas e queridas palhaças!Estive em pensamento e estarei sempre que puder, junto com vocês para usufruir dessa doce e meiga companhia dessas comparsas multiplicadoras de risos e alegrias e criatividade. Muitosbeijos e abraços e Viva a Poderosa Margarida!
Silvia Leblon (Spirulina).

Oficinas Enogastronômicas disse...

Querida Sassá,

Espaços como este são sempre bem vindos para o meu teclado. É com prazer que eu registro aqui o quanto o festival de mulheres palhaças foi especial neste terceira edição.
Muito bacana ver palhaças tão diferentes, com diferentes sotaques e culturas e ao mesmo tempo tão impressionantemente cúmplices!
Imagino que para o público é realmente surpreendente ver uma mulher palhaça em cena - são mil e um pensamentos que correm de uma vez, um turbilhão de emoções ao mesmo tempo, e risos multiplicados.
Para nós, palhaças, também é surpreendente a generosidade da platéia e bobeira, que rápida, toma conta de todos.
Tenho certeza que este anos avançamos ainda mais em perspectiva e ações. Aqui em Recife alguns pesquisamos a linguagem a 7 anos e estamos todos influenciados pelo festival. Queremos um festival no Nordeste tb!
Queremos ter essas maravilhosas palhaças fazendo graça por essas bandas!
beijos,
Enne Marx - Mary En
R e c i f e